II Resenha II Diário de uma Escrava

14 de fevereiro de 2017

Título: Diário de uma Escrava
Gênero: Policial
Autor: Rô Mierling
Editora: Darkside
Formato: Físico/Capa Dura
Avaliação: 
Sinopse: Laura é uma menina sequestrada e jogada no fundo de um buraco por alguém que todos imaginavam ser um bom homem. Ela vê sua vida mudar da noite para o dia, e passa a descrever com detalhes sinistros e íntimos cada dia, cada ato, cada dor que o sequestro e o aprisionamento lhe fazem passar. Estevão é homem casado, trabalhador, pai de família, mas que guarda em seu íntimo uma personalidade psicopata. Ele percorre ruas e cidades se apossando da vida de meninas ainda muito jovens, pois dentro de si uma voz afirma que é dele que elas precisam. Mergulhando fundo nessa fantasia, ele destrói vidas, famílias e sonhos, deixando atrás de si um rastro de dor e morte. Narrado em parte em forma de diário, o livro acompanha mais de quatro anos da vida de Laura em um buraco embaixo da terra, período em que algo dentro dela também se modifica de uma forma inimaginável em busca da única maneira para sobreviver. Publicado originalmente na plataforma digital Wattpad, onde já teve mais de um milhão e meio de leituras, DIÁRIO DE UMA ESCRAVA apresenta um retrato duro, cruel, abominável, mas infelizmente corriqueiro no Brasil e em todo o mundo. Através de Laura, raptada ainda adolescente por um homem que ela chama de “Ogro”, a autora denuncia os diversos tipos de violência que muitas mulheres são obrigadas a suportar em silêncio e nas sombras da sociedade. O “Ogro”, um homem aparentemente comum, honesto e “acima de qualquer suspeita”, mantém Laura presa em uma casa afastada, onde abusa dela sexual e mentalmente, alegando ser ela o seu verdadeiro amor. Laura, compreensivelmente, só pensa em escapar dali. Mas agora ele parece estar mudando. Será que é o melhor momento mesmo para fugir?... Bem, isso você vai ter que ler para descobrir.


     Comentando...
     Não li sinopse.
     Não li resenhas.
     Comprei porque amei a capa, confesso.



     Para quem me conhece sabe que eu amoooooo borboletas, então quando vi a capa desse livro exposta numa livraria, não descansei enquanto não comprei. Só com o pequeno texto que tem na parte de trás da capa, já imaginava que o livro seria forte e tenso, mas mesmo assim me surpreendi.

     Li em menos de 24hs, isso porque estava no trabalho heim! A trama me deixou muito agoniada e ansiosa para chegar ao final, que com o decorrer da narrativa, pensei que teria um final “feliz”. Mas feliz é a última palavra que me veio à mente quando o ponto final encerrou uma história quase de horror para mim.

     A sinopse deixa você a par do que encontrará no livro, mas não te prepara para ter sensações reais ao ponto que, no simples fato de andar na rua ou pegar um ônibus, eu ficava imaginando alguém que talvez esteja passando por alguma situação parecida. É bem intrigante e com certeza uma leitura que serve como alerta para todos.

    Baseada em fatos reais, Rô Mierling criou uma narrativa bastante realista quando descrevia os abusos sofridos por Laura. O que me deixou um pouco decepcionada foi com a atitude da personagem em alguns momentos cruciais da trama. Quando pensava que ela tomaria uma atitude drástica, ela mudava e simplesmente aceitava aquela situação que ela mesma descrevia como insuportável, e era!

     Então entra na história um policial, um cara forte e destemido que estava obsecado na busca pelo “Maníaco das Donzelas”. E ai pensei: “Finalmente alguém vai achar esse cara e acabar com esse sofrimento”. Certo? Errado. Um personagem que entrou, se mostrou quase como um super herói e nem chegou perto de encontrar Laura. Será que vamos ter um segundo livro?

    O final particularmente não entendi porque a autora classificou como Síndrome de Estocolmo. Não vi dessa forma e achei até um final condizente com os momentos em que Laura percebeu que sua vida nunca mais seria a mesma.
Solidão! Não existe uma dor que te faça sofrer de forma tão íntima quanto essa. Todos se encaixam no cenário, menos você. Como uma peça inútil, você é abandonada, e todas as portas s fecham, deixando-a do lado de fora.”
       
     Conclusão: a história é boa sim, é um alerta para a sociedade que parece estar de olhos vendados, e principalmente é recomendado para todos (homens, mulheres e meninas adolescentes) que acham que isso é só ficção, não! Histórias como esta existem aos montes por ai, é um pouquinho do que a maldade humana pode causar. Serve como reflexão.

Obs.1: Fui ler resenhas depois que terminei e achei várias boas, mas algumas ruins e até pessoas dizendo que foi o pior livro do ano. Não é o melhor confesso, mas se posso dar um conselho, leiam e tirem suas conclusões. Principalmente por ser uma autora nacional, dê um voto de confiança, sem dúvida nenhuma no mínimo vai te fazer pensar.

Obs.2: Síndrome de Estocolmo é o nome normalmente dado a um estado psicológico particular em que uma pessoa, submetida a um tempo prolongado de intimidação, passa a ter simpatia e até mesmo sentimento de amor ou amizade perante o seu agressor. Fonte: Wikipedia

         
:::::Quote Favorito:::::



9 comentários

  1. Tive curiosidade com esse livro desde a época do wattpad, mas acabei nunca lendo, acho que vai entrar pra lista de desejados. Bela resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou da resenha, é um livro forte e por ser baseado em histórias reais, acho que a leitura vale a pena.😘❤

      Excluir
  2. Gostei da resenha e também do livro. Parabéns aos envolvidos, desenhista e autora.

    ResponderExcluir
  3. Desculpe, resenhista e autora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita Márcio,fico feliz que gostou da resenha, sinta-se a vontade pra conhecer o nosso blog ❤😘❤

      Excluir
  4. Olá!
    Parabéns pela resenha e pela sinceridade.
    Eu fiquei interessada no livro quando li a premissa dele. Uma pena quando o livro não é nada daquilo que a gente esperava, né? Acho que também ficaria incomodada com essa falta de atitude da personagem.
    Adorei o blog. Seguindo <3

    Beijão
    Leitora Cretina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Mônica, como disse, essa é a minha opinião, recomendo a leitura como reflexão e para prestigiar mais uma autora nacional né! Seu blog também é uma graça e já estou seguindo. Bjs

      Excluir
  5. Olá Jô, tudo bem?
    Gostei muito da resenha, esse livro está na minha lista.
    Gosto de histórias que trazem alguma reflexão sabe? E parece o caso desse livro.
    Beijos e seguindo aqui...

    Http://excentricagarota.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita e esse livro é bem tenso, mas como disse é um alerta também acho q deve arriscar a ler e tirar suas próprias opiniões. Bjus

      Excluir