II Resenha II Pecadora

28 de junho de 2017


Título: Pecadora
Gênero: Romance/ Hot
Autor: Nana Pauvolih
Editora: Planeta
Formato: Capa Comum/Ebook
Onde Comprar: Amazon
Avaliação: 
Sinopse:  Todos nós éramos pecadores. Somente uma coisa diferenciava um pecador: as escolhas. Saber o certo e escolher seguir pelo caminho errado em vez de fazer o que era correto. Fechei os olhos. Apesar de tudo que tinha feito naquela noite, não me arrependi. Era pecado, era perdição, mas também era mais do que eu já tinha sonhado em ter. ––– Entre a rígida criação religiosa e o desejo que sempre a consumiu, Isabel precisa se encontrar. Casada há quatro anos com Isaque, seu namorado de adolescência, a jovem sabe que a relação está longe de ser satisfatória. Mas é só quando Isaque fica amigo de Enrico, um publicitário solteiro e bem-sucedido, que a situação começa a ficar insustentável. Agnóstico, sem amarras e cheio de mulheres, Enrico é tudo o que Isabel acredita rejeitar, mas ela não consegue deixar de se sentir interessada pelas histórias que o marido conta dele. Para piorar, ela consegue um emprego na agência dele, e agora terá de passar os dias ao lado do homem que traz à tona seus sentimentos mais proibidos. Neste novo romance, Nana Pauvolih, uma das maiores autoras de romances eróticos do país, mostra que o certo nem sempre precisa ser aquilo que é imposto, e sim aquilo em que se acredita.
Comentando...


Antes de fazer a resenha, fui ler outras para saber o que a pessoas acharam do livro e me surpreendi com algumas classificando a personagem principal como uma mulher chata. Mas para quem NÃO conhece ou convive com uma pessoa de uma religião como a de Isabel, realmente não vai entender o que tanto ela teme e questiona no decorrer da trama.


Sou evangélica há algum tempo e hoje tenho uma visão madura sobre a religião, mas no início também tive momentos de questionamentos e dúvidas pelos quais Isabel passa.

Comecei a questionar por que eu não podia fazer certas coisas, mas, tendo sido tolhida pelos meus pais, aprendi a me calar e aceitar. Só não aprendi a silenciar minhas dúvidas e os desejos.”

Enrico mesmo sendo aquilo tudo de homem (e que homem heim!), foi compreensivo preferindo manter distância e até me surpreendendo, sendo sensato e tentando ficar longe da mulher do seu amigo Isaque.


A própria Nana já havia dito que este seria um livro bem diferente. Eu particularmente estava com medo de ler, pois o assunto religião sempre causa polêmica, principalmente por especificar aqui a intolerância religiosa.

As pessoas brigam entre si, matam-se, cada qual defendendo sua religião, quando ela deveria ser o meio da união.

Mas como sempre os livros da autora são maravilhosos, não me arrependo da leitura e sabe por quê? Porque praticamente todo o livro me vi ali representada por Isabel com suas dúvidas e desejos que foram por anos reprimidos.

Cenas hot? Não contém muitas, aqui o foco é outro, é mostrar que a mulher também tem seus desejos e opiniões e que apesar da religião que você segue o que importa é como você vai se sentir tomando certas atitudes ou não. A religião que segue não pode ser sinônimo de prisão e nem uma forma de julgar outras pessoas que não seguem. Mas há cenas quentes no livro, afinal estamos falando da Nana, mas tenha paciência, pois essas cenas demoram um pouco para acontecer. E essa expectativa foi outra bela sacada da trama, pois a gente fica aguardando ansiosamente.

Nana Pauvolih está de parabéns por conseguir abordar um tema tão delicado e que há muito tempo é tratado como tabu.Recomendadíssimo!!!!

:::::Quote Favorito:::::



Nenhum comentário

Postar um comentário